Acordo entre MP e Prefeitura de Barretos amplia o atendimento a dependentes em álcool e drogas no município

Combate às DrogasA necessidade de internação de dependentes em álcool e drogas e a falta de espaço para tratamento levava a Prefeitura de Barretos a ter um gasto aproximado de R$ 80 mil mensais em internações de moradores em clínicas de outras cidades da região.

A situação, que acarreta problemas em outras áreas como tráfico de drogas, crimes patrimoniais para sustento do vício, violência doméstica etc, foi amenizada com o Termo de Ajustamento de Conduta proposto pela Promotoria de Justiça de Barretos e firmado com a Prefeitura em junho de 2013, que exigiu a criação de espaço para internação de adolescentes dependentes químicos moradores da cidade.

O assunto é tema do Objetivo número 1 do capítulo de Saúde Pública dos Planos Gerais de Atuação de 2013 e de 2014, que prevê o fortalecimento da rede de saúde mental, com ênfase no enfrentamento da dependência de álcool e outras drogas, preferencialmente pela administração direta.

Segundo o Promotor de Justiça Flávio Okamoto, a Fundação Padre Gabriel Correr já disponibilizava o atendimento de dependentes e de suas famílias e a internação para adultos do sexo masculino. Todavia, o serviço não se estendia para adolescentes do sexo masculino, cuja demanda sempre foi alta na cidade.
Para o Promotor, o internamento realizado em Barretos envolveria “a diminuição de custos, a agilização da obtenção de vagas e a possibilidade de envolver a família do paciente no tratamento”.

Após o acordo, que teve sua primeira parte cumprida em novembro do ano passado pela Prefeitura e por sua conveniada, a Fundação Padre Gabriel Correr, ficou garantido o espaço para internação de até 30 adolescentes do sexo masculino, residentes no município de Barretos e com renda familiar de até três salários mínimos.

Além disso, o Município de Barretos se comprometeu a estabelecer procedimento para avaliação das solicitações de internação para tratamento de adolescentes e para a elaboração de lista daqueles que aguardam vaga, com preferência para adolescentes que desejam internação voluntária. A Fundação Padre Gabriel Correr, além de se comprometer a fazer todo o atendimento, garantiu, por meio de sua Casa de Triagem, o atendimento sistemático das famílias dos adolescentes internados durante todo o período do tratamento e até, no mínimo, seis meses após a alta.

No caso do acolhimento de mulheres, segundo o Promotor Flávio Okamoto, a demanda não era tamanha que justificasse investimentos na própria cidade, já que os casos continuam sendo encaminhados a clínicas sediadas em outras cidades.

Anúncios
Esse post foi publicado em Álcool e Drogas, Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s